Voltar

26 de agosto 2019

WEG inaugura fábrica na China para automação

A WEG, fabricante brasileira de motores elétricos e equipamentos, vai inaugurar neste mês a primeira fábrica de aparelhos de automação industrial na China. A ideia é entrar no mercado chinês de automação e, futuramente, exportar para Rússia e Europa. A nova unidade fabril deve começar a produzir no fim de agosto.

 

A fábrica está situada em Changzhou, província de Jiangsu, onde a empresa possui outras duas unidades de fabricação de motores elétricos e componentes. Em um primeiro momento produzirá inversores de frequência de baixa tensão, minidisjuntores e dispositivos diferenciais-residuais. O investimento inicial em maquinário para a nova fábrica é de cerca de R$ 15 milhões.
 
"A nova fábrica é a quarta da WEG na China, mas a primeira dedicada à automação industrial. Todas as outras no país são de motores elétricos", afirmou ao ValorManfred Peter Johann, diretor superintendente de automação da empresa. No total, ele afirma, a nova planta terá 14.500 metros quadrados.
 
Segundo Johann, o novo investimento é parte do processo de internacionalização da área de automação da WEG, na qual a empresa busca maior competitividade e fortalecimento no continente asiático.
 
"A primeira etapa é o mercado chinês. Vamos usar a sinergia com as empresas globais que usam nossos motores e têm presença na China. O mercado chinês é muito grande, então buscaremos market share de um dígito nos próximos três anos", afirma. "Em uma segunda etapa, vamos atender outros países a partir da China."
 
No radar estão países vizinhos, como a Rússia, além de União Europeia e Reino Unido. A WEG iniciou suas atividades na China em 2004, com uma fábrica produtora de motores elétricos trifásicos de baixa e alta tensão, em Nantong, também na província de Jiangsu.

 

Quase 60% da receita da empresa - R$ 11,97 bilhões no ano passado - foi gerada no mercado externo. A região da Ásia e Oceania respondeu por 6%. No primeiro semestre deste ano, a receita da WEG atingiu R$ 6,21 bilhões - o exterior gerou R$ 3,68 bilhões.
 
Fonte: Valor